RADIO ZUMBIWEB

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

NOTA DE DESAGRAVO À JORNALISTA MÔNICA RODRIGUES







Celso, entre a canalhice e o machismo


Os que fazem o movimento de jornalistas NOVOS RUMOS vêm de público condenar a atitude preconceituosa, machista e inapropriada do treinador de futebol, Sr. CELSO TEIXEIRA, técnico do Botafogo da Paraíba, que agrediu moral e verbalmente, no último dia 25 de janeiro, na cidade de Patos (PB), a jornalista, MÔNICA RODRIGUES, correspondente do Sistema Correio de Comunicação naquela cidade.
A agressão do referido treinador reflete, além do seu despreparo emocional individual e de sua péssima formação humana, uma cultura machista e patriarcalista que ainda predomina no universo futebolístico paraibano.
Como líder de equipe desportista e, também, como formador de opinião, Teixeira é apenas mais um componente do time do preconceito contra as mulheres, que não respeita o exercício do jornalismo por pessoas que não sejam do mesmo sexo que ele. Sua atitude, dessa forma, além de reprovável, foi covarde.
Esse tipo de profissional, desequilibrado e ultrapassado, não consegue perceber que os tempos mudaram (para a melhor!) e que hoje homens e mulheres disputam democraticamente os mesmos espaços profissionais. Basta ver a atuação das mulheres na arbitragem do futebol profissional paulista, por exemplo, e o número incontável de jornalistas do sexo feminino atuando com competência nos diversos veículos de comunicação espalhados pelo Brasil afora.
Por fim, os jornalistas profissionais paraibanos exigimos da diretoria do Botafogo Futebol Clube (http://www.botafogopb.net/index.htm) uma imediata retratação pública dos fatos ocorridos naquela noite no estádio José Cavalcante, em desagravo à companheira jornalista supracitada.

João Pessoa, em 31 de janeiro de 2009.