radio zumbi web

RADIOWEB ZUMBI DOS PALMARES

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Advogados contratados por Land acusam empresários de financiar NOVOS RUMOS












Sósthenes e Daniel chamam de “aventureiros” membros da oposição


Há duas semanas das eleições no sindicato dos jornalistas profissionais da Paraíba, a batalha jurídica no Tribunal Regional do Trabalho continua produzindo episódios inusitados. Os advogados que defendem o ex-presidente Land Seixas pronunciaram-se em juízo atacando de forma desesperada os membros da chapa NOVOS RUMOS, que ingressaram na Justiça solicitando a prestação de contas da entidade, chamando Dalmo Oliveira, Fabiana Veloso, Mabel Dias e Antonio Oliveira de “aventureiros”.

Sósthenes Marinho e Daniel Alves defendem a tese de que nossa campanha é bancada por empresários do jornalismo local. Num trecho do documento protocolado no último dia 12, os advogados escrevem: “(...) As falas do Sr. Land Seixas não indicam qualquer atitude desrespeitosa aos poderes constituídos, mas simplesmente afirma que por trás da Chapa encabeçada pelo Sr. Dalmo Oliveira existem interesses empresariais”.

Marinho e Alves acham que “(...) há pessoas poderosas financiando a chapa oposicionista, pois não é crível que a estrutura montada por eles seja financiada por simples jornalistas, haja vista que não recebem uma boa remuneração (...)”.

O discurso dos advogados contratados por Land & Cia reflete a visão equivocada que esse grupo tem dos trabalhadores que dizem representar. “Desde que obtivemos a primeira liminar, eles começaram a espalhar que os juízes eram comprometidos com os empresários. Agora dizem que os patrões estão nos bancando. O fato é que quem tem mantido uma relação promíscua com o empresariado da Comunicação paraibana é o ex-presidente. A categoria percebe e comenta os conchavos e as reuniões dele às portas fechadas no Sistema Paraíba e no Correio”, rebate Dalmo, líder da chapa NOVOS RUMOS.

Sósthenes e Land dizem que nossa “aventura jurídica” não passa de “(...) puro oportunismo e tentativa de tumultuar o pleito”. Na verdade, o grupo landista está em pânico porque se encontra prestes a ser condenados pela Justiça do Trabalho. Os advogados agem, nesse caso, de forma anti-ética e pouco profissional. Eles não podem ser culpados do tamanho da encrenca em que se meteram os ex-diretores do sindicato dos jornalistas, mas são coniventes.

Mentira, empulhação, difamação, injúria, desfaçatezes, e arrogância é o que move o discurso da situação. No próximo dia 9 os jornalistas vão mostrar em quem eles acreditam. E aí o grupo de pelegos que se encastelou no nosso sindicato vai ser punido também pela categoria, que não agüenta mais a gestão do retrocesso, do anacronismo, da paralisia e do parasitismo sindical.

Nós temos aliados “poderosos”, com certeza. Eles são a imensa maioria dos jornalistas paraibanos que foram excluídos da vida sindical da nossa entidade. Temos apoiadores “em dia” e “inadimplentes”. Várias companheiras e companheiros sindicalistas também assumiram o compromisso com NOVOS RUMOS, e nos apóiam desde o início da organização do movimento. Artistas, estudantes, sindicalistas, lideranças políticas, políticos e diversos empreendedores estão nos dando suporte nessa caminhada. Agradecemos a cada um deles, anônimos ou declarados.

Por final vamos deixar um adágio popular para os advogados e pra turma do Land: “Quem disso cuida, disso usa!”

sábado, 24 de maio de 2008

Jornalistas, sindicalistas e artistas prestigiam lançamento da chapa NOVOS RUMOS

fotos: Damara Soweto


A chapa NOVOS RUMOS lançou neste sábado (24) a disputa pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Paraíba. O evento ocorreu nas dependências do Sindicato dos Bancários, em João Pessoa e contou com a presença de um grande número de profissionais da imprensa, além de representantes de entidades sindicais do Estado.

Lucius Fabiani, presidente do Sindicato dos Bancários prestigiou o lançamento declarando o apoio daquele sindicato. Ele disse aos componentes da chapa que construir uma oposição à direção do Sindicato dos Jornalistas é uma inovação corajosa. “Depois de encarar embates jurídicos e assembléias difíceis, chegar nessa fase da campanha é uma vitória”, reconheceu Fabiani. “A imprensa paraibana precisa de um representante que seja comprometido com os interesses da categoria. Para sair do continuísmo são necessárias novas caras e a chapa Novos Rumos representa efetivamente essa alternativa”, observou.

O jornalista e humorista Cristovam Tadeu, integrante da chapa NOVOS RUMOS, no cargo de diretor de Cultura, integrante do programa "Show do Tom", da Rede Record de Televisão, animou o evento como mestre-de-cerimônia. Ele saudou Dalmo Oliveira, candidato a presidente da oposição, pela audácia e a coragem em colocar seu nome para a mudança no Sindicato dos Jornalistas da Paraíba, que há quase 20 anos vive no marasmo. O lançamento da chapa contou também com a presença de Marcos Henriques, secretário geral da Central Única dos Trabalhadores na Paraíba e do cartunista Régis Soares.

O jornalista de A União, Marcos Lima usou do microfone para ressaltar a importância desse momento histórico na categoria. “Estamos consolidando um processo que terá seus desdobramentos num futuro próximo. Nosso grupo tem compromissos claros com os trabalhadores e com a sociedade civil. Nós vamos resgatar o papel importante desse sindicato na vida social da Paraíba”, disse o candidato a tesoureiro na chapa oposicionista

Profissionais da comunicação, a exemplo de Jackson Bandeira, Edmilson Pereira e os professores da Universidade Federal da Paraíba Wellington Pereira e Alarico Correia Neto também compareceram ao lançamento da chapa, que contou com a apresentação de Diogo Freitas, Paulo Bruxo, Gláucia Lima, Eduardo Brito, Kennedy Costa, Guilherme Semedo, Anay Claro, Sanmetack Trio, Petra Ramalho e Everaldo Vasconcelos, no repertório musical.

Os artistas convidados também se manifestaram publicamente em defesa da candidatura do grupo de oposição dos jornalistas. “É preciso romper com as coisas que estão emperrando nosso desenvolvimento. Eu acredito na proposta de vocês”, declarou a cantora Gláucia Lima. “Contem comigo nessa luta porque a mudança acontece quando as pessoas a desejam”, disse Kennedy Costa.

O jornalista Dalmo Oliveira, candidato a presidente na chapa de oposição ao Sindicato dos Jornalistas Profissionais da Paraíba disse que, independentemente, de questões políticas, o lançamento da chapa NOVOS RUMOS foi um grande marco na história da categoria. “Isto mostra que estamos no caminho certo. Nosso objetivo é resgatar a história de lutas de nosso sindicato”, afirmou Oliveira.

O evento arrecadou alguns quilos de alimentos que serão doados à Associação Paraibana de Portadores de Anemias Hereditárias (ASPPAH), com sede na capital paraibana.






quarta-feira, 7 de maio de 2008

MÁQUINA DA FENAJ ENTRA NA DISPUTA PELO SINDICATO DA PARAÍBA

Torves: usando a máquina da Fenaj a favor de Land e Cia.


A diretoria da Federação Nacional dos Jornalistas entrou de vez na disputa pelo sindicato da Paraíba. O diretor de Mobilização, Negociação Salarial e Direito Autoral da Fenaj, José Carlos Torves, está intimando os sindicatos filiados à Federação a colaborarem financeiramente com a campanha da chapa liderada pelo ex-presidente Land Seixas.

NOVOS RUMOS teve acesso a uma cópia do email que Torves enviou no dia 30/04, para os sindicatos de jornalistas de todo o país. Em determinado trecho, o diretor da Fenaj diz: “Estou solicitando a todos mensagens de apoio a esta chapa que enfrenta uma oposição dura na Paraíba. Será publicado um jornal contendo um manifesto e gostaríamos de ter confirmado os apoios para que possamos divulgar o quanto antes”.

Mais adiante o email ressalta: “É importante dizer que a chapa 'Linha Independente' faz parte da base de apoio à atual direção da FENAJ, enquanto a oposição é alinhada com o grupo que faz oposição sistemática a FENAJ.
PS: aproveito a oportunidade para pedir também apoio financeiro a chapa "Linha Independente", contribuições para a seguinte conta: LUCIA DE FATIMA FIGUEIREDO, Caixa Economica federal,
Agência: 4009, Operação: 013, C/C: 00000357-4”.

ORGULHOSOS E PARCIAIS

Não é de hoje que a diretoria da Fenaj usa a máquina da Federação em benefício do grupo landista. Em janeiro o presidente Sergio Murilo veio à João Pessoa exclusivamente referendar a assembléia que escolheria a Junta Governativa do sindicato paraibano. Os integrantes da oposição reclamaram a Murilo pela falta de divulgação da Fenaj sobre todos os fatos ocorridos na Paraíba nos últimos meses. “Não há uma linha sobre esse assunto no site oficial da Fenaj”, reclamou Dalmo Oliveira à época. Sergio Murilo responsabilizou o jornalista contratado pela Fenaj pelo silenciamento sobre a problemática no sindicato da Paraíba.

O que se espera de uma federação que agrega sindicatos de jornalistas é o mínimo de isenção e equilíbrio num momento conturbado como esse por que passam os jornalistas paraibanos. Todas as vezes que o grupo de oposição pediu a intermediação da Fenaj no processo ouviu uma resposta, no mínimo, cínica: “A Fenaj não interfere nas disputas estaduais!”, como disse Torves pessoalmente a Dalmo em novembro passado, quando o sindicalista paraibano fez uma visita oficial à sede da Fenaj em Brasília.

“Uma mão lava a outra, já que Land e os ex-diretores Lúcia Figueiredo e Edson Verber foram convidados a compor a atual diretoria da Fenaj, garantindo ao grupo de Torves e Murilo uma larga votação na Paraíba, num processo em que até agressão física sofri pelo fato de ter composto politicamente com a chapa LUTA FENAJ!, de oposição”, analisa Oliveira.

domingo, 4 de maio de 2008

Paraíba representada em reunião do Luta Fenaj!


Sindicalistas que fazem oposição à diretoria da Fenaj se encontraram em Brasília








Nos dias 26 e 27 de abril ocorreu a primeira reunião anual do movimento Luta Fenaj!, reunindo por dois dias na capital federal sindicalistas de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Sergipe, Paraíba e também de Brasília. NOVOS RUMOS se fez representar por Dalmo Oliveira, candidato na chapa de oposição nas eleições para o sindicato paraibano.

Eles discutiram temas nacionais importantes como Lei de Imprensa, Conferência Nacional de Comunicação, Conselho Federal de Jornalismo, Diploma, Democratização das Comunicações e Congresso da Fenaj. O grupo analisou também os processos eleitorais da Paraíba, Minas, Maranhão e São Paulo.

Sobre a Lei de Imprensa, o entendimento do movimento é de que a suspensão de artigos da antiga lei prejudicou mais a sociedade civil do que apenas aos atores envolvidos na questão, ao revogar, por exemplo, o famoso “Direito de Resposta”. Significa dizer que a imprensa não está mais obrigada garantir espaço para respostas nos casos de matérias polêmicas publicadas onde setores ou indivíduos se sintam difamados, caluniados etc.

Sobre a Conferência Nacional de Comunicação, Luta Fenaj! defende a tese de que sua realização deva ser uma iniciativa do Poder Executivo, assim como ocorre com as conferências de diversas outras temáticas, garantindo-se a ampla participação da sociedade civil organizada, através dos sindicatos, ONGS e do terceiro setor de um modo geral. Para sindicalistas de Brasília, que acompanham de perto as articulações sobre a realização do evento, a Fenaj vem agindo de forma dúbia dentro do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC).

O FNDC realiza sua 14ª Plenária Nacional nos dias 16 e 17 de maio, em Brasília. O prazo de inscrição de teses e delegações para plenária do Fórum termina nesta segunda-feira, 5 de maio. A política de convergência na comunicação social será a pauta principal dos debates. Luta Fenaj! Tem recebido informações de que a diretoria da Fenaj tem realizado negociações paralelas com o Ministério das Comunicações, fragilizando o próprio FNDC.

Sobre o Conselho Federal de Jornalismo e a questão da queda da obrigatoriedade do Diploma para exercício da profissão, as notícias não são animadoras. Com a chegada do ministro Gilmar Mendes à presidência do STF (Supremo Tribunal Federal), os jornalistas formados pelos cursos superiores ganharam um assumido inimigo do diploma, que atuou recentemente como relator dessa questão dando parecer favorável à desregulamentação da profissão.

Por outro lado, presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto, defendeu com veemência a manutenção da exigência do diploma para o exercício profissional do jornalismo. durante seminário promovido pelo Sindicato dos Jornalistas de Sergipe, em Aracaju.

Os oposicionistas também discutiram a estratégia do Luta Fenaj! Para o Congresso da Fenaj, que ocorre no mês de agosto na capital paulista. A idéia é reforçar as teses apresentadas nos congressos anteriores, mas que ainda não foram implementadas pela Fenaj. Os sindicalistas ligados ao movimento de oposição à atual diretoria deve ainda produzir discussões sobre temas específicos, como saúde ocupacional do jornalistas, assédio moral e relações de gênero e étnicos-raciais. “Compusemos comissão para edição de um jornal impresso com o resumo de nossas teses e outras notícias a ser distribuído no evento”, destaca Dalmo.

O evento ocorreu no Sindicato de Brasília, com apoio do presidente, Romário Schettino e da vice, Emília Magalhães. Leonor Costa, do conselho fiscal do sindicato do DF também organizou localmente o encontro. “Certamente ainda temos muito o que organizar, mas a sensação que tive é de que o Luta Fenaj! constrói, efetivamente, uma alternativa viável e capacitada para a direção da Federação”, analisa Oliveira.